Regras de Voo por Instrumentos (IFR)

Por 6 de novembro de 2019Piloto

As regras IFR possibilitam a operação de aeronaves quando as condições meteorológicas não permitem a visibilidade mínima. Os voos noturnos seguem normalmente as regras IFR.

 

Nestas condições, em que o piloto não tem normalmente o horizonte como referência, ele controla a atitude do avião observando os instrumentos de voo. Além disso, em um espaço aéreo controlado, o controlador de tráfego aéreo assegura a separação de obstáculos, relevo ou outro tráfego IFR.

Confira abaixo um pouco mais sobre as Regras de Voo por Instrumentos (IFR)

 

Regras de Voo por Instrumentos (IFR) 

Regras de voo por instrumentos (IFR) são o conjunto de regras que governam aeronaves que voam em condições meteorológicas por instrumentos (IMC – Instrument Meteorological Conditions). Mais especificamente, IMC é definido como o clima abaixo dos mínimos prescritos para o voo sob as regras de vôo visual.

É chamado de vôo por instrumentos, porque o piloto navega apenas por referência aos instrumentos da aeronave. Voar nas nuvens (IMC) requer um plano de vôo IFR e uma classificação de instrumento.

Voar por instrumentos, sem referências externas, parece perigoso, mas é muito seguro depois que você recebe o treinamento adequado. 

O treinamento por instrumentos inclui aprender a usar auxílios à navegação, como VORs, ADF e GPS, e como fazer aproximações usando um sistema de aterrissagem por instrumentos (ILS). 

Além disso, também inclui um estudo abrangente de sistemas e relatórios climáticos, condições de formação de gelo e como o corpo humano responde à desorientação espacial. 

Para poder realizar voos por instrumentos (IFR) é necessária uma licença específica e alto grau de precisão e profissionalismo.

Painel de instrumentos

 

O painel de instrumentos de uma aeronave IFR pode ser dividido em três seções básicas. O primeiro consiste nos instrumentos “seis básicos” que são usados ​​para indicar a orientação da aeronave no espaço. Esses são:

  • Um indicador de velocidade no ar
  • Um horizonte artificial
  • Um indicador de altitude
  • Indicador de giro e escorregamento
  • Giroscópio direcional / indicador de situação horizontal
  • Indicador de taxa de subida / descida

Em segundo lugar, os instrumentos de navegação permitem ao piloto navegar na aeronave entre auxiliares de navegação e realizar aproximações por instrumentos ao solo. Esse conjunto geralmente consiste em dois ou mais dos seguintes itens:

CDI – Indicador de desvio de curso que utiliza sinais de um sinal de faixa de rádio omnidirecional VHF (VOR) ou equipamento de sistema de aterragem por instrumentos (ILS)

ADF – Localizador automático de direção que navega usando faróis não direcionais (NDB)

Por fim, é necessária a instrumentação do motor, que permite ao piloto monitorar as condições do maquinário, bem como definir as configurações de potência para a fase do voo. Dependendo do tipo de mecanismo, isso pode consistir em qualquer um dos seguintes:

  • RPM do motor
  • Pressão de admissão
  • Configuração de torque
  • Velocidade N1 (turbina de baixa pressão)
  • Pressão / temperatura do óleo do motor
  • Temperatura dos gases de escape
  • Fluxo de combustível
  • Quantidade do tanque de combustível

 

Decolagem e pouso sob IFR

 

Quando uma aeronave decola em um plano de voo por instrumentos, existem vários métodos para que a aeronave alcance com segurança a pista desejada, mantendo a distância do terreno circundante. 

No entanto, todo aeródromo possui um limite mínimo especificado de nuvens e um requisito de visibilidade antes que a aeronave possa voar. Alguns procedimentos de partida são:

Partida visual = O piloto deve manter a distância do terreno visualmente até acima da altitude mínima segura da rota (MSA).

Ativar na pista = A aeronave pode entrar na pista, desde que atenda aos requisitos mínimos de gradiente de subida.

Vetores de radar = O controle de tráfego aéreo fornece vetores que o piloto deve seguir para evitar o terreno.

Partidas de instrumento padrão (SID) = Procedimentos que garantem a limpeza do terreno e são publicados para cada aeródromo de IFR.

Uma vez que a aeronave chegue ao destino pretendido, deve fazer uma aproximação ao solo. As abordagens por instrumentos são baseadas em auxílios terrestres (VOR, NDB ou ILS) ou em sinais GNSS (conhecidos como abordagens RNAV na Nova Zelândia).

Cada uma dessas abordagens terá uma altitude mínima de descida (MDA) especificada. O piloto não pode descer abaixo desta altura, a menos que o requisito de visibilidade seja cumprido e o piloto tenha uma das referências visuais necessárias à vista para a pista de pouso prevista.

Essas referências incluem, entre outras, o limiar da pista, as luzes da pista ou os indicadores visuais da inclinação da aproximação.

 

Requisitos alternativos de aeródromo

 

Ao operar sob IFR, o piloto é obrigado a estudar a previsão do tempo no destino. Se isso estiver abaixo dos mínimos estabelecidos nas regras, um aeródromo alternativo deve ser selecionado. 

O tempo previsto para essa alternativa deve ser melhor que os mínimos especificados para esse aeródromo, para que, no caso de desvio, haja uma chance razoável de que o pouso seja garantido.

No momento da apresentação do plano de voo, a previsão do tempo no aeródromo da aterrissagem prevista indica que, uma hora de cada lado da hora prevista de chegada (ETA), o clima irá:

  • Ter um teto de pelo menos 1000 pés acima dos mínimos de abordagem publicados
  • Tenha uma visibilidade maior que 5000m ou 2000m maior que a visibilidade mínima especificada para a abordagem do instrumento.

Fonte: http://aviationknowledge.wikidot.com/aviation:instrument-flight-rules

 

Carreira como Piloto Comercial

 

Deseja seguir carreira como Piloto Comercial? Continue acompanhando nossos textos e sobrevoe um mundo de possibilidades, descubra carreiras, e se prepare no AeroSimulados, a melhor e mais atual ferramenta de auxílio ao estudo para a realização da prova teórica da ANAC.

No AeroSimulados o estudante pode adquirir um pacote de créditos para realizar os simulados, aumentando muito suas chances de aprovação. A base do AeroSimulados possui mais de 15 mil questões atualizadas, com base legal e desenvolvidas pelos melhores professores.

Além disso, a aprovação é garantida! Realizando ao menos 50 provas e sendo aprovado em 50% delas, o AeroSimulados garante a sua aprovação ou dinheiro de volta.

Com essa plataforma online você acessa e realiza as provas dos simulados sempre que quiser. Dessa forma, otimizar os estudos fica muito mais fácil!

 

Conheça hoje mesmo a ferramenta que mais aprova no Teste Teórico da ANAC.

Deixar uma resposta